COMO TRATAR A DEPRESSÃO INFANTO-JUVENIL

Vamos entender o que é a depressão? A depressão é um distúrbio psicológico que afeta crianças, jovens, adultos e idosos, e merece total atenção e tratamento.

Essa questão não pode ser negligenciada e esse distúrbio se não tratado corretamente, pode causar graves prejuízos ao desenvolvimento integral da pessoa.

Temos diferentes tipos de depressão, mas os sintomas mais comuns incluem desânimo e perda de interesse e prazer em realizar tarefas que antes prazerosas e que fazem parte da nossa rotina. Um grande ponto a ser observado é quando afeta as atividades sociais e resulta no isolamento.

Por isso, atenção! No caso da depressão infanto-juvenil, esses e outros sintomas aparecem, mas são mais difíceis de identificar, pois muitas vezes a criança/jovem depende do adulto para entender o significado das emoções. Então se tornam mais quietos, não querem brincar, ir para a escola, ter contato com amigos e familiares, suas emoções oscilam e acabam apresentando um comportamento bem confuso, que não pode ser confundido como fase de crescimento.

E como identificar que o comportamento está passando da normalidade?

O ponto de alerta é quando esse comportamento começa a gerar sofrimento, prejuízo emocional e social. Esse é o gatilho, sua criança ou adolescente, está em risco. Torna-se assim, essencial investigar também o comportamento em outros ambientes, como na escola, atividades extras e com amigos e familiares.

Para tratar a depressão infanto-juvenil é fundamental a realização de um trabalho que envolve psicoterapia, estimulação social e participação em atividades recreativas e esportivas. Esse trabalho ajuda no enfrentamento dos problemas e na criação de novos hábitos, que devem ser sustentados também pela família.

A depressão tem cura, se for tratada e diagnosticada o mais rápido possível, para não tornar um problema crônico na vida adulta. Acha que seu filho precisa de uma avaliação? Procure ajuda de um profissional. Você pode agendar uma consulta conosco!

Fica a dica: dê atenção e seja carinhoso com seu filho, estimule a prática de esportes, atividades que estimulem a expressão e facilite o “fazer amigos” e convívio social, como teatro e dança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo
× Como podemos te ajudar?